Tag Archives: Style It Up

A mala de… Cátia e Margarida, do Style It Up!

A Cátia Dias Amaral e a Margarida Marques de Almeida são também conhecidas como as Style It Up. Os mais atentos à blogosfera perceberão imediatamente porquê, certo? Elas são as autoras de um blog de moda, beleza e lifestyle bem conhecido, o Style It Up. Para além do blog, têm também uma empresa de consultoria de imagem e acabaram de lançar um livro, em conjunto com a Dora Dias, do Blossom. Livro esse que responde a uma questão que atormenta o dia-a-dia de quase todas as mulheres: “O que vou vestir hoje?”. Vale a pena ler. Para além dos muitos projetos profissionais e da amizade que as une, apesar de muito diferentes uma da outra, têm várias paixões em comum. Uma dessas paixões é, sem dúvida, viajar.

Vamos espreitar as malas das Style It Up?

7

Samsonite – Sol, cidade, campo,… Que tipo de destino preferem?

Margarida – Sem dúvida, praia! Mas também gosto muito de viagens mais culturais e cosmopolitas. Destinos de sonho: Japão e Pantanal. Destino preferido de sempre: Rio de Janeiro.

Cátia – Concordo, sol e praia no verão. No resto do ano, cidade.

Samsonite – Qual a viagem mais inesquecível que já fizeram?

M. – Todas elas foram inesquecíveis, porque são sempre únicas, mesmo que o destino seja o mesmo. De qualquer forma, adorei o safari que fiz no Sabi Sabi (Kruger Park). Confesso que não estava à espera de gostar tanto e surpreendeu-me muito. Amava voltar!

C. – Também amava voltar à Sardenha e a Nova Iorque. É difícil escolher uma viagem apenas, mas talvez estas duas tenham sido as mais memoráveis!

Samsonite – E na hora de fazer a mala, são muito ponderadas, ou levam tudo aquilo que vos apetece?

M. – Tento ser razoável, faço listas do que vou querer levar e preparo os looks para todos os dias, mas levo sempre uma ou outra peça extra.

C. – Já eu… Levo tudo o que me apetecer e mais um par de botas! [Risos]

Samsonite – E o que é que nunca pode ficar em casa?…

M. – A máquina fotográfica e o carregador do telemóvel.

C. – Carregador do telemóvel, sempre!

Samsonite – Histórias engraçadas com malas de viagem… Têm algumas?

M. – Graças a Deus, não! Espero nunca perder uma mala de viagem, nem por umas horas!

C. – Eu tenho duas. Quando viajei para a Sardenha, aluguei um Smart e nem me lembrei que tinha comigo uma mala gigante, que possivelmente nem caberia nesse carro! Mas surpresa das surpresas, o Smart não só levou 1, mas 2 malas! Também já me aconteceu ficarem com a minha mala, por engano, no aeroporto no Brasil, e ter de andar 3 dias com roupa emprestada!
M. – Ahhhh… Eu tenho pânico que isso me aconteça!

Samsonite – O que é mais importante para cada uma de vocês, na escolha de uma mala?

M. e C. [em uníssono] – Leveza!

M. – E a facilidade de transporte (rodinhas amigas)

C. – Sim, e o design…

M. – E que consiga diferenciar facilmente no tapete rolante do aeroporto.

Samsonite – Costumam viajar juntas?

M. –  Sim, mas a maior parte das vezes a trabalho. Em breve iremos a Madrid, a trabalho também…

Samsonite – O blog já vos proporcionou várias viagens!…

C. – Sim, algumas!

Samsonite – E quais os planos para este ano?

M. – Eu quero muito voltar ao Rio (já não vou lá desde Janeiro, uma eternidade!) e gostava de ir à Tailândia.

C. – Vamos agora juntas para Madrid, como a Margarida disse, em trabalho, e depois…  Grécia, para umas merecidas férias!

Samsonite – Se pudessem espreitar a mala de alguém, de quem seria?

M. – Ui! Sou muito curiosa!… Gostava muito de espreitar a mala da Julia Petit, especialmente quando ela volta para casa, para ver as comprinhas e achados na viagem.

C. – Eu espreitaria a mala da Taylor Tomasi Hill. Adoro o estilo dela!

Obrigado, foi uma entrevista muito divertida, cheia da vossa energia positiva. Ah! E boa viagem para Madrid!

Anúncios

Style It Up – “Un petit peu de Paris” por Ana Rita d’Almeida

Ma chambre a la forme d’une cage, le soleil passe son bras par la fenêtre… e é saltanto entre ruelas parisienses e ocoando o timbre de Piaf que a aventura de qualquer turista por terras de Louis Soleil deve começar.

O tempo nem sempre nos acolhe da melhor maneira, ora somos recebidos encobridos em nuvens, ora somos jogados pelo sol matinal para a Avenida Champs Elysées. O luxo e a sofisticação não têm obrigatoriamente que sair de forma mais dispendiosa dos bolsos de quem por esta cidade deambula. Basta algum jogo de carteira e bom sentido de orientação.

Paris é a cidade do tic tac sem fim, das horas bem passadas, dos segundos apaixonados e nada como o conforto do Hotel Taylor, localizado numa das zonas mais movimentadas da cidade, para nos aquecer a alma e colocar em prática a arte de bem receber. Num cenário boutique em que a realizadora não é Coppola e Marie Antoinette não entra em cena, o Hotel de nome Taylor coberto pelas suas três estrelas de qualidade e conforto eleva-se ao desígnio de Petit Château de Versailles.

De malas arrumadas e devidamente embelezados para o que Paris tem para oferecer, nada como desbravar a capital francesa usando o Le Metropolitain que dá acesso a diferentes zonas da cidade e se for amante da indústria cinematográfica infantil pode sempre vaguear pelo reinado encantado, utilizando o Disney all stars Express caso queira dar um pulo sem limites e diversão garantida ao Parque Disneylan.

Da Place de La Concorde localizada numa das margens do rio Sena é avistada outras vias de interesse turístico, como o Arco do Triunfo, o Museu do Louvre, Jardin des Tuileries, a bela Champs Elysées e a luz dos olhos da cidade, Torre Eiffel. A arte respira-se ao longo da cidade, um pouco de Barroco, um pouco de Rococó e chega-se ao palco do teatro – Palais Garnier.

Mudando de disco, toca Milord de Piaf, Milord de Paris, na cidade Ladurée onde o crepe Suzette tem que constar obrigatoriamente de qualquer lanche turistico. Facilmente se encontram iguarias de fazer parar a respiração entre os bistrôs mais conhecidos da cidade. Comer no Le Metropolitain pode não ser de todo a tarefa mais agradável, mas se prefere comer bem e pagar pouco, procure nas saídas das estações de metro os locais mais apetecíveis aos seus olhos e à sua carteira. Um almoço na capital da moda pode rondar entre os oito e os vinte euros. Mas cá entre nós, aventure-se pelas famosas baguettes enquanto procura o melhor spot para admirar a cidade.

Paris foi feita para ser vivida na sua plenitude. Sem altos, nem baixos e apenas com os seus caminhos planos é tocada a balada de midnight in Paris e hora de aclamar – au revoir, ma belle Paris!

Fonte da imagem: pt.wikipedia.org