Monthly Archives: Junho 2012

Passatempo Samsonite

A Samsonite Portugal está a realizar um passatempo relacionado com viagens na sua página de fãs no Facebook, cujo prémio final é um cheque-viagem no valor de 1.000€ – oferta da Soltrópico – e ainda um conjunto de malas Samsonite.

Até dia 18 de Junho, quem quis tentar a sua sorte, enviou um roteiro de viagem, sobre um qualquer destino, para um dos blogs parceiros desta ação (Allure Urbano,  A Melhor Amiga da BarbieA Miúda dos Saltos AltosA Pipoca Mais Doce,  Blossom In Vogue With Silvana QueridoM&AMarcas por AmorSaltos de CristalStyle It UpThe Stiletto Effect e Trendy Zahra) e fez figas para que fosse o seu o escolhido.

Foram recebidos inúmeros roteiros, com dicas para diversos tipos de viagem. Nova Iorque, Paris, Barcelona, Itália, México, Tóquio, Turquia, Grécia e até mesmo Lisboa, foram apenas alguns dos destinos que deslumbraram os autores dos blogs, que decidiram pelo que consideraram mais original, mais credível e com melhores dicas para os possíveis futuros viajantes. Cada um dos roteiros finalistas está disponível para consulta aqui no  By Your Side.

Agora que cada blog já elegeu o seu roteiro favorito, chegou o ansiado momento das votações. Isto porque o roteiro que tiver mais votos até dia 27 de Junho será o grande vencedor! Blog e participante (ou seja, quem escreveu o roteiro) vão levar para casa – cada um – um cheque-viagem no valor de 1.000€ – oferta da Soltrópico – e ainda um conjunto de malas Samsonite.

As votações estão a decorrer aqui e terminam na próxima 4ª feira, dia 27 de Junho, às 23h59. Esta aplicação só está visível para fãs da página, por isso é necessário fazer “gosto“.

Leiam com atenção todos os roteiros e votem no vosso preferido. No dia 2 de Julho será revelado o roteiro vencedor.

Boa sorte a todos os finalistas!

Nota: O regulamento deste passatempo – com todas as condições, incluindo os destinos válidos para os cheques-viagem – está disponível para consulta na página de fãs da Samsonite Portugal.

Allure Urbano – “Lisboa, a cidade das 7 colinas” por Carina Rodrigues

Calma e serena à beira Tejo, Lisboa é uma cidade para se fazer a pé, por isso na mala não podem faltar ténis e sapatos confortáveis. Com tempo ameno durante quase todo o ano, apenas necessário um casaco mais quente nos meses de inverno.

Do Castelo a Alfama, passando por ruas e ruelas dos bairros típicos, qualquer tasca apresenta uma boa refeição. Tanto de dia como de noite, o Bairro Alto é passagem obrigatória. Bem perto podemos apreciar o Jardim Botânico da cidade. Belém compete na atenção do visitante e a sua iguaria é a imagem de marca, não se pode deixar Lisboa sem comer um pastel de Belém. Aqui, a história de Portugal fala mais alto, espelhadas no Padrão dos Descobrimentos e na Torre de Belém, assim como vários museus.

Para as amantes de compras, não podem perder as lojas da Avenida de Liberdade. E para repousar, uma ida ao Parque Eduardo VII no cimo da avenida, com bons hotéis e esplanadas a explorar.

Para completar a visita, o Parque das Nações apresenta um espaço à beira rio com jardins para passeios de bicicleta ou a pé, restaurantes para comer com vista e o casino, para ver um espectáculo ou beber um cocktail.

Nenhuma visita a Lisboa fica completa sem uma volta no mais emblemático dos eléctricos lisboetas: o 28. No mês da cidade de Lisboa, o mês de Junho, temos direito a fado ao vivo e a cidade ganha uma vida e espírito como em nenhum outro mês, sem dúvida o melhor mês para a visitar!

Fonte da imagem: www.visitlisboa.com

Trendy Zahra – “Barcelona: a metrópole de Gaudi que parece saída de um conto de fadas” por Rúben Pedroso

Barcelona é a cidade de Gaudí, parece saída de um conto de fadas, mas é também cosmopolita e animada e, ainda por cima, à beira mar plantada.

Em três dias é possível ficar com uma visão geral desta cidade europeia verdadeiramente deliciosa. Poderá viajar por uma das companhias aéreas low-cost e ficar num hostel (de preferência numa zona com metro). Prepare-se para andar muito a pé, de metro e de autocarro (compre um passe para 3 dias, é o ideal). A melhor época para ir é a primavera, pois no Verão o calor pode ser insuportável e os turistas parecem invadir todos os recantos de Barcelona.

O Parque Güel, a La Pedrera, a Casa Batló, a Sagrada Família, as Ramblas, o Bairro Gótico, o L´Eixample e a Cidade Velha são alguns dos pontos de interesse imperdiveis.

Reserve um dia completo para o Parque Güel (aproveite e leve uma mantinha, comidas e bebidas compradas num qualquer mercado para um pic-nic e um livro para ler) relaxe e desfrute deste parque emblemático. Este parque parece saído do imaginário infantil dos contos de Hansel e Gretel. Quanto aos monumentos, não precisa de entrar em todos (são caros!), mas pode passear pelas ruas, ver a Sagrada Família, sem comprar bilhete, e gastar os trunfos na La Pedrera – não o vai desapontar.

Passeie pelo Bairro Gótico, veja as igrejas e praças, suba e desça o passeio de La Rambla (com os seus mercados, animação de rua a qualquer hora e lojas), tire muitas fotografias e almoce numa esplanada, de preferência com sangria à mistura. Não há tempo a perder, Barcelona é enorme e não conseguirá visitar tudo. Por isso não se demore muito nos locais que visitar e faça um esforço, mesmo que esteja cansado, para continuar a jornada. Vale a pena.

À noite, vá a um restante de Tapas ou comer uma Paella – em qualquer esquina há qualquer uma destas hipóteses- e a seguir vá de bar em bar nas zonas de maior animação noturna (Maria Cubí, o Porto Olímpico, a rua Montaner e o Bairro Gótico). Os habitantes de Barcelona parecem não demorar-se muito num só local e gostam de entrar e sair, ficar na rua a conversar,… Siga-lhes o exemplo.

Poderá aproveitar para fazer compras no Passeio de Graça. E nos mercados, claro está, onde se vendem bons vinhos e onde, nem que seja apenas pelo ambiente, vale a pena entrar. Vá parando nos cafés para descansar, mas também para um refresco, um copo de vinho ou umas “croquettas”.

Fonte da imagem: www.famousdestination.com

A Pipoca Mais Doce – “Nova Iorque… de A a Z!” por Sofia Félix

Air & Helicopter Tour: uma forma diferente de conhecer a cidade que nunca dorme!

Brunch: ao Domingo, é quase uma tradição entre os new yorkers… Tanto o Balthazar como o Alma são 2 excelentes escolhas!

Carl Schurz Park: uma boa alternativa aos concorridos parques da cidade em Upper East Side!

Dinner: a variedade é imensa mas para dar exemplos… Buddakan (incrível!), Mangia (bom preço, boa comida), Locanda Verde (italiano, muito giro),

Ellis Island: é o símbolo da emigração americana, faz parte do monumento da Estátua da Liberdade e alberga um museu de emigração.

Fashion Week: não é acessível a todos, é verdade, mas pelo menos o ambiente frenético que se vive nessa semana dá para se sentir!

Governors Island – Seja para assistir a um os muitos eventos q lá se fazem ou apenas para passear e relaxar, é definitivamente um lugar a visitar!

Harlem: Conhecido por ser o centro cultural e comercial da cultura afro-americana, é um bairro cada vez mais cosmopolita! Visitar o Studio Museum, o Apollo Theater, assistir a uma celebração numa igreja baptista, almoçar no Sylvia’s Soul Food, ouvir boa música no Lenox Lounge… a lista é interminável!

Inevitável e Indispensável: é o que se pode dizer de todos aqueles marcos que ninguém deixa de visitar (nem poderia!) pela sua importância e espectacularidade: Times Square, Central Park, Empire State Building, Broadway, World Trade Center, Rockfeller Center…and so on, and so on…

Jazz – aqui encontram-se os melhores espectáculos e clubes de Jazz do mundo… Os míticos Blue Note, Village Vanguard e 55 Bar são, sem dúvida, um must go!

Knicks – para quem é fã de basquetebol, é um espectáculo absolutamente imperdível assistir a um jogo dos NYKnicks!

Library – New York Public Library e, já agora, logo depois um saltinho ao Bryant Park ali ao lado

Museus –  sem deixar de visitar os mais óbvios –  Met, MoMA, Museum of Natural History… – são tantas as opções: New Museum, The Frick Collection, Museum of Sex (porque não?)…

NoLIta: North of Little Italy – o bairro italiano de Manhattan… resumindo: boa comida, boa gente e muito bom ambiente!

Off-Broadway: vale a pena investigar o que está em cena nestes teatros geramente mais pequenos, com produções menos dispendiosas e divulgadas, onde, por vezes, se encontram boas peças a preços muito acessíveis!

Praia – é possível ir à praia em NY; Coney Island, à semelhança das californianas Venice Beach e Sta Monica, é um óptimo spot para passar o dia!

Queens – porque não ir à descoberta de Queens? Flushing Meadows Park, Queens Museum of Art, Bohemian Hall and Beer Garden…

Rooftop Films: não é surpreendente poder assistir a filmes em diferentes localizações e ao ar livre?

Shopping: Bergdorf Goodman, Macy´s, Bloomingdales, American Apparel… e tantas, tantas outras!

The Garden (Madison Square Garden): obrigatório, seja para um evento desportivo ou cultural, esta é a mais importante sala de espectáculos de Nova Iorque!

Union Pool: em Brooklyn, uma óptima aposta para um copo e uma noite bem passada com os amigos!

Vibrante Village: não há melhor do que nos perdermos pelas ruas de Greenwich ou East Village, respirando o ar entusiasmante destes bairros de Manhattan!

Williamsburg: muito trendy, cheio de lojas de fazer perder cabeça (e a carteira), restaurantes super giros, muito frequentado pela nova onda de artistas nova-iorquinos.

X-MAS: O Natal é, sem dúvida, a mais bela época do ano nesta cidade! Mágica, diria mesmo! As ruas, as montras, a neve…cenário verdadeiramente encantado!

YMCA: o tão famoso albergue para quem viaja com um orçamento limitado. Mas na Big Apple não faltam opções: do famoso Waldorf Astoria ao Plaza, a escolha de nível superior é imensa… uma sugestão: porque não arrendar um apartamento?

Zoo: em especial para quem viaja com crianças (mas não só!), o Zoo do Central Park diverte toda a família!

Fonte da imagem: www.kersaber.com

A Melhor Amiga da Barbie – “Barcelona, a fuga perfeita” por Ricardo Lopes

Recomendo uma escapadinha de fim de semana. Após aterrar em El Prat, peça um mapa. De lá, será possível apanhar logo o metro para o centro da cidade, que é o transporte preferencial, pois permite uma mobilidade rápida e eficaz, ideal para uma visita curta, mas completa.

Siga direto à praça de Espanha. Irá ver uma imponente fonte mágica e espetáculos incríveis, onde fruirá o Museu de Arte Nacional da Catalunha. Não obstante as belas obras de arte expostas, terá uma vista incrível da cidade. Poderá sorver todo o vigor desta bela urbe, despontando, ainda mais, a curiosidade para a visita.

Logicamente, a obra de Gaudi pode ser guia. Casa Milá (mais conhecida como Pedrera), Casa Batló e Sagrada Família são visitas obrigatórias. O Palácio e Parc Guel são igualmente indispensáveis, tendo no segundo uma nova vista periférica sobre a cidade, contudo o mar terá ganho uma nova influência no ornamento visual. Aproveitando esse apetite que a vista do parque aguça, deverá descer até à zona da praia. No Port Olimpic, terá o casino, os belíssimos barcos alinhados na marina e ainda um centro comercial, no meio do mar. Dali deverá ir para a rambla principal. Ficará apaixonado pelos artistas de rua e ainda poderá ver um sublime carro dentro do Hard Rock e seguir para o bairro gótico, não deixando de passar na Gucci, Hugo Boss ou Armani, no caminho até lá. No bairro gótico, não pode deixar de comer umas tapas. El Trópezon é apenas uma de muitas sugestões.

A seguir, com o estômago forrado, poderá sair do metro no Arco do Triunfo, atravessar a majestosa avenida e visitar o Parc da Ciutadella. Verá famílias e amigos a divertirem-se no extenso jardim, artistas de rua e um belo lago a permitir um passeio de barco. Não se esqueça de subir as escadas da fonte, banhada a dourado, para ver todo o parque.

Um pouco mais longe, mas acessível com o metro, é a visita a Camp Nou. A zona não apresenta grandes interesses, mas uma imagem, fora ou dentro do estádio, alegrará sempre o seu álbum da viagem.

Ir a Barcelona e não sair à noite está fora de questão, por isso não pense duas vezes antes de ir ao Ovelha Negra beber uma sangria. O preço não é muito caro, é um pouco à imagem da nossa Lisboa. A seguir, Razzmatazz é a maior, e mais conhecida, discoteca de Barcelona. É composta por 8 pistas, que abrem todas ao fim de semana. Todavia, junto à praia poderão encontrar mais opções, como a Sotavento ou a Opium, que permitem aceder livremente às esplanadas na praia, com um simples carimbo na mão. Uma dica para os homens: não levem calçado branco que não vos será permitida a entrada.

Os hostels serão sempre a melhor opção para o alojamento, num fim-de-semana. Pela quantidade e qualidade em que existem por toda a cidade, poderá escolher por preço ou localização, que encontrará sempre boas alternativas.

Organize o mapa e terá a possibilidade de em três dias embeber toda esta move de Barcelona. Seguramente, segunda-feira voltará ao trabalho e/ou às aulas com mais energia!

The Stiletto Effect – “Nova Iorque uma cidade de contrastes, de entusiasmos e arrebatadora” por Tiago Miranda

Há vícios que são bastante difíceis de largar … e o meu vicio de viajar é um deles!

O roteiro que vou traçar tem como filosofia, visitar Nova Iorque desde a sua cultura mais clássica à mais moderna e contemporânea … em todos os seus sentidos. Com quatro dias nesta cidade, já se fica com uma ideia bem clara – há que voltar!

Mas comecemos por esta sugestão de roteiro de Nova Iorque. O primeiro local a ir é ao famoso METropolitan Museum. Aqui, durante uma manhã passa-se os olhos por algumas das mais famosas peças de arte antiga do mundo … num contexto bastante único. Junto à hora do almoço o meu concelho é que subam até ao bar terraço e que comam uma sandwich à escolha (pois normalmente são deliciosas) com um sumo natural (excelentes) e fruam a vista sobre o Central Park que é absolutamente de ficar sem respiração!

Depois da manhã cultural sugiro que atravessem o parque em direção a Colombus Circus (passando pela famosa Boat House onde se toma um chá maravilhoso) e daqui se siga (pela Broadway) a pé até Times Square onde vemos o esplendor máximo dos anúncios pelo entardecer (é o momento mais mágico para se ver Times Square é quando o Sol ainda não se pôs mas as luzes dos anúncios já são mágicas).

Depois há que descer até ao “very trendy” Meat Packing District e ir jantar ao tailandês Sea (mesmo em frente ao famoso hotel The Standard).

No dia seguinte sugiro que se dirijam até ao famoso museu Guggenheim e que o visitem cuidadosamente até à hora do almoço. Aqui podem descer até ao excelentíssimo The (W)Right Restaurant e deliciarem-se com uma (qualquer, pois são todas boas) iguarias do menú.

Depois de almoço o melhor é passear um pouco ao longo do Central Park até ao famoso Plaza onde se apanha um metro até Wall Street.

No dia seguinte há um terceiro museu que não se pode perder em Nova Iorque – MoMA. Ocupem-se uma manhã inteira neste museu, pois a qualidade das obras de arte merece uma visita bem atenta. No final desta há um passo obrigatório antes de saírem para mais um passeio pela cidade: irem até ao The Modern e degustarem algumas das propostas de cozinha de fusão que o Chef preparou para esse dia.

Daqui passa-se a um merecido passeio até ao vizinho Rockfelller Center e sobe-se até ao Saks 5th Avenue. Aqui há que ter algum controlo de tempo, pois não se devem perder no mais chic e mais exclusivo armazém da Big Apple. Devem sim rumar até ao famosíssimo Women’ Shoe Department  e passear por entre uma das sapatarias mais exclusivas do mundo. Depois é só apanhar o elevador expresso até à saída e entrar no metro para rumar até Canal Street.

Aqui muda-se literalmente de cenário e vai-se até China Town, dá-se umas voltas pelas maravilhosas lojas do vizinho Soho e faz-se mais umas compras. Tudo antes de jantar, pois tem de se deixar os sacos no hotel para poderem rumar a Japan Town (em plena East Village) e comer umas espetadas bem japonesas no muito característico Oh! Taisho (atenção que se forem os únicos ocidentais não se admirem, pois estão mesmo mergulhados no mais profundo Japão de Nova Iorque).

Para o quarto dia a nossa sugestão é simples: de manhã rumar à famosa Estátua da Liberdade, à hora do almoço ir até ao Magnólia Café e comer uns Cup Cakes MARAVILHOSOS e à tarde mergulhar no mundo das compras de Madison Avenue, 5th Avenue ou até mesmo Park Avenue e gastar o que resta do cartão de crédito (pois no dia seguinte já se está de volta). No final do dia há que passar pelo novíssimo salão de chá da central Station e provar o muito característico Cheese Cake (originário desta cidade segundo algumas lendas gastronómicas).

In Vogue with Silvana Querido – “Croácia aqui vamos nós!” por Marta Maia

Sempre pensei em viajar. Viajar é sem dúvida uma coisa que adoro fazer. Antes de conhecer o mundo, porque um dia o vou conhecer, não quero sair da Europa sem antes a conhecer muito bem.

Foi fácil escolher o destino. Posto isto, Croácia aqui vamos nós. 8 noites e 7 dias foi o programa escolhido.

1º Dia: Com direito a 20Kg de bagagem, o primeiro dia é exclusivo da viagem. Lisboa – Dubrovnik.

2º Dia: Classificada como Património Mundial da UNESCO, é dia de palmilhar a cidade de Dubrovnik, passando pelo Palácio Rector, a Catedral e o Mosteiro dos Franciscanos.

3º Dia: Ida ao Parque Nacional lagos de Plitvice. Um pouco mais longe mas um dia imperdível. Este parque instituído em 1949, protege uma ampla área natural em que dois rios, o rio branco e o rio negro, alimentam 16 lagos, um após o outro.

4º Dia: Dia de descanso para aproveitar as praias de Dubrovnik.

5º Dia: Dia de ir a um pequeno paraíso, Bol. Bol é uma cidade e um porto no lado do sul do console de Brac, e um local perfeito para mergulhar.

6º Dia: Dia de conhecer a capital. Apesar de ficar um pouco longe de Dubrovnik, não podíamos deixar de passar por Zagreb. Aos seus visitantes, Zagreb oferece o ambiente barroco do Bairro Alto, mercados pitorescos ao ar livre, diversidade de lojas, uma oferta de produtos artesanais e deliciosa cozinha caseira. Zagreb é a cidade de parques e passeios verdes com numerosos e belos lugares.

7º Dia: Último dia para aproveitar todo o ambiente e ruas de Dubrovnik.

8º Dia: Voltamos com os 20Kg de bagagem e mais uns quantos sacos cheios de lembranças e compras. Mil fotografias, experiências e lugares lindíssimos para recordar. Lisboa chegámos a casa!